nome blog

12 março 2015

Penta: A vacina mais temida pelas mães.

Ola, esse post é para as mamães de plantão. Qual  a mãe que não morre de pena quando o neném vai tomar vacina, da uma pena né? Eu pelo menos nem vejo meu marido é quem segura o Adryan por que não tenho coragem nem de ver, e pra min a pior e a pentavalente a tão temida penta por que a reação dela é orrivel dar febre, a perninha fica dura roxa, doí o neném fica todo enjoadinho aiai, tem que colocar compressa para não ser tão dolorido mais por que essa vacina é assim quais doenças ela previne? Eu fui a pesquise e trouxe para vocês um post bem informativo para ajudar a minimizar nossa aflição. 

A vacina Pentavalente é uma vacina combinada do tipo injetável. Ela é uma união da vacina Tetravalente com a vacina Hepatite B, ou seja, a partir de agora ao invés de duas aplicações será necessário apenas uma injeção para que se imunize a criança contra as cinco doenças cobertas pela vacina.Então, agora com a vacina Pentavalente, a criança será imunizada contras as seguintes doenças: Difteria, Tétano, Coqueluche, Meningite e outras infecções causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b e a Hepatite B.
Quais doenças a pentavalente imuniza. 
Difteria (Crupe)
A difteria, também conhecida como crupe, é uma doença que tem como contágio o contato com os infectados, com suas secreções ou com os objetos contaminados por eles. Normalmente se manifesta nos meses frios e atinge, principalmente, crianças de até 10 anos. Começa como se fosse um resfriado, a criança tem dor de cabeça e de garganta.
A doença ataca a garganta (amídalas, faringe, laringe) e o nariz, onde pode aparecer placas brancas, muitas vezes visíveis a olho nu. O pescoço pode ficar inchado e duro. Além desses incômodos, a difteria causa mau hálito e a criança fica pálida. Conseqüências mais graves podem afetar o coração e a criança fica com a fala diferente e com dificuldade para respirar. Portanto, não deixe de vacinar seu filho.
Tétano
O tétano é uma doença que não é contagiosa de pessoa para pessoa; seu contágio é por meio de ferida ocasionada por agulha, tesoura, latas velhas, vidros, arames ou mesmo espinhos de plantas.
Seja em qualquer idade, se uma pessoa se ferir com um desses objetos, normalmente sujos, corre grande risco de ser contaminado pelo tétano. Isso porque o micróbio que causa a doença vive na terra, na poeira da rua e nas fezes de animais, principalmente de cavalo.
As maiores vítimas de tétano são crianças de até 14 anos.
Essa doença ataca o sistema nervoso central, causando rigidez muscular, isto é, deixa os músculos do corpo "duros", principalmente do queixo, e a pessoa tem dificuldade para abrir a boca, chamado de trismo.
A pessoa também sente dores nas costas, rigidez abdominal e da nuca, espasmos e convulsões. O quadro pode se agravar, causando parada respiratória ou cardíaca.
Higienização no parto - O tétano que ataca a um recém-nascido é conhecido como tétano umbilical ou "mal-de-sete-dias". Ele acontece quando o umbigo da criança é cortado com uma tesoura contaminada. O bebê sente dificuldade em amamentar, fica com as perninhas esticadas e os braços dobrados com as mãos fechadas.
Coqueluche
É uma doença que ataca facilmente as crianças e é transmissível pelo contato com secreção da boca e nariz, como espirro e fala de pessoas contaminadas.
Correm maior risco os recém-nascidos e bebês que ainda não foram totalmente vacinados, pois eles estão indefesos diante da entrada de seres perigosos. A doença começa como se fosse uma gripe; a criança tem febre e apresenta secreção nasal.
Conforme apresenta a Organização Mundial da Saúde, a coqueluche consiste de pelo menos 21 dias de crises de tosse e a criança respira com um barulho intenso, podendo vomitar.
O período dessas crises de tosse pode durar de um a dois meses ou até mais. As crises de tosse, o choro e a febre enfraquecem a criança. Em casos mais graves, ela pode piorar e morrer.
A maior parte dos casos de morte por coqueluche eram de crianças de até seis meses de idade.
Infecções causadas por Haemophilus influenzae tipo b
A bactéria Haemophilus influenzae tipo b causa meningite (inflamação das membranas que envolvem o cérebro), sinusite e pneumonia.
Essas infecções geralmente começam no nariz e na garganta, mas podem espalhar-se para a pele, ouvidos, pulmões, articulações e membranas que revestem o coração, a medula espinhal e o cérebro. São doenças graves que podem levar à morte.
As doenças causadas por essa bactéria ocorrem principalmente em crianças menores de 5 anos de idade e a taxa de mortalidade devido à meningite é de 5%.
As seqüelas neurológicas como convulsões, surdez ou retardamento mental estão em 35% das crianças que sobrevivem à meningite.
Outras complicações da bactéria são a sepse (infecção generalizada que causa risco de morte), as pneumonias e as pericardites (infecção da membrana que envolve o coração).
Essas doenças respondem bem aos antibióticos, mas se não houver sucesso com esse tipo de tratamento, o risco de morte é grande.
Hepatite B
As formas de contágio de hepatite B em crianças são através do parto, onde o bebê entra em contato com o sangue infectado da mãe e através do sangue de alguma pessoa contaminada, como em transfusões.Quase 90% dos recém-nascidos infectados por suas mães no parto tornam-se portadores crônicos, podendo transmitir a doença para seus parceiros durante a vida. Uma entre cada quatro crianças que contraem a Hepatite B de suas mães desenvolve câncer hepático ou cirrose.
Os sintomas mais comuns são iguais aos de uma gripe. Também pode ocorrer cansaço, febre discreta, dores musculares e nas articulações, náuseas, vômitos, perda de apetite, dor abdominal e diarréia. Algumas pessoas desenvolvem icterícia (olhos e pele amarelados), urina escura e coceira na pele.Infelizmente não existe tratamento específico para essa doença. Por isso, o melhor a fazer é preveni-la com a vacinação.

Reações da pentavalente:

Inchaço na coxa

É comum que o bebê apresente inchaço na coxa em que recebe a vacina pentavalente. Este inchaço tende a diminuir com o passar dos dias, geralmente, no máximo três.

Vermelhidão no local da aplicação da vacina

Vermelhidão já é fácil de se notar após a aplicação de qualquer vacina, e com a pentavalente não é diferente. Caso suma em até um dia não há com o que se preocupar.

Aumento da sensibilidade

Geralmente o local aonde é aplicada a vacina fica bastante sensível, de modo que, apertar e até mesmo tocar com força pode levar o bebê a sentir fortes dores.

Choro constante

O bebê que toma a vacina pentavalente pode ficar bastante “chatinho” e chorando bastante, e isto é compreensível, pois ele estará passando por uma situação bastante desconfortante caso esteja sofrendo com algum dos efeitos pós aplicação citados aqui.

Febre alta

O bebê pode vir a apresentar febre, e isto pode ser aceitável, desde que não exceda os 38,5º. Caso seu bebê apresente febre acima deste nível é recomendado que procure por um médico.
Para febre até 38,5º procure dar banhos com água bem fresquinha para tentar baixar e siga acompanhando constantemente a temperatura.

Convulsão

Em casos bastante raros pode acontecer de o bebê ter convulsão febril após tomar a vacina pentavalente.

Reação Anafilática

Todo e qualquer medicamento pode vir a apresentar reação em alguns pacientes, e com a pentavalente não é diferente. Caso note qualquer sinal de reação alérgica após o bebê tomar a vacina leve-o imediatamente à um centro de saúde.

Irritabilidade

Bebês podem ficar bastante irritados após tomar a vacina, isso acontece por causa de outros efeitos colaterais que ele possa estar sofrendo.

Fadiga

O bebê pode vir a mostrar-se mais cansado do que geralmente fica, dormindo mais e menos ativo, isto é aceitável pois o mesmo pode estar sofrendo de fadiga.
Vale observar o tempo em que o bebê persiste apresentando fadiga e procurar um médico caso exceda dois dias.

Tontura

Sim, é muito difícil para quem não é profissional de saúde determinar se um bebê está sentindo tontura, mas este é mais um efeito que pode importunar seu bebê.

Cefaleia

Os bebês também podem ter dores de cabeça e após a pentavalente esta possibilidade é ainda maior.
Este é um sintoma difícil de identificar, neste caso, vale observar as ações do bebê, se ele está ativo, etc.

fonte:guia do bebe , meu bebe 

5 comentários:

  1. Nossa!
    Muito interessante seu post! Muito bem esclarecido.
    Espero que chegue às pessoas de interesse para que seus pequenos estejam protegidos desde já, sem tabus e medos desnecessários.

    Muito lindo seu blog.
    Estou visitando pela primeira vez e adorei.
    Principalmente esse bg *-*

    Beijo, beijo.
    Continue assim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Lory que bom que você gostou do blog, ajuda muito esse tipo de informação, mais mesmo assim ainda morro de pena.

      Excluir
  2. Amei seu blog, tem um designer leve mas atrativo aos olhos do leitor, parabéns!
    O post é muito interessante e super útil, vou compartilhar na fan page do blog.
    Beijos!

    http://www.detudopouco.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado querida, foi eu que fiz o layout do meu blog fiquei muito orgulhosa de min por ter feito ele e acho que ele e bem a minha cara, que bom que você gostou volte sempre que quiser.

      Excluir
  3. Ain já fiquei chorosa só de ler essas informações. Não sei quando toma essa vacina malvada, mas já estou com dó do meu Miguel. Me parte o coração só de imaginar. As vacininhas que ele tomou na maternidade já me doeram o peito e o teste do pézinho então... Tive até que sair da sala. Mesmo assim, foi muito bom receber essa informações antes de acontecer ai a gente já vai se preparando e pesquisando o que fazer pra aliviar.

    Vidas em Preto e Branco 

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante.

 
Layout criado e codificado para o blog Fabiana Carvalho | Cópia proibida © 2015